O problema das escolhas

[…] Bruno Pettersen oferece uma explicação de como a posição pirrônica pode trazer tranqüilidade {Pettersen, 2005.}; basicamente, sua idéia é a de que não somos nunca justificados na adoção de uma tese filosófica (pois para isso é necessário que se rejeite completamente sua tese oposta; e como há certas coisas em ambas que não estamos dispostos a descartar, tal escolha depende mais de fatores psicológicos do que epistêmicos). Isso traz perturbação, pois, ou postulamos que nossa escolha de teses filosóficas é não‐filosófica, ou nunca fazemos nossa escolha, nunca adotamos uma posição. […] [p. 22]

[…]

[…] PETTERSEN, Bruno. “A aceitação da vida comum”. In: II Encontro de Pesquisa UFMG [CD ROM]. Belo Horizonte, 2005. […] [p. 24]

FELIPE NOGUEIRA DE CARVALHO. Os dogmas de um pirrônico. p. 17–24. In: Passos contados. p. 17–50. In: ConTextura: Revista do corpo discente de filosofia da FAFICH ‐ UFMG. n. 2. Belo Horizonte: Segrac, 1o semestre 2007.

Comente

%d blogueiros gostam disto: