Monthly Archives: março 2008

Sobre a lógica

Que a Lógica tenha seguido desde os tempos mais remotos esse caminho seguro depreende-se do fato de não ter podido desde Aristóteles dar nenhum passo atrás, desde que não se considere melhorias a supressão de algumas sutilezas dispensáveis ou a determinação mais clara do exposto, coisas pertencentes mais à elegância do que à segurança da […]

De frente pro crime

Tá lá o corpo Estendido no chão Em vez de rosto uma foto De um gol Em vez de reza Uma praga de alguém E um silêncio Servindo de amém… O bar mais perto Depressa lotou Malandro junto Com trabalhador Um homem subiu Na mesa do bar E fez discurso Prá vereador… Veio o camelô […]

Filosofia é fácil

E, visto que aquilo pelo que a coisa é estabelecida no próprio gênero ou espécie é isto que é significado pela definição indicando o que a coisa é, daí vem que o nome de essência é transformado pelos filósofos no nome de qüididade; e isto é o que o Filósofo denomina freqüentemente aquilo que algo […]

A pressa

Freqüentemente, de fato, alguns começam a escrutar proposições com tanta pressa que aplicam à solução delas um espírito que vagueia ao acaso, antes de reparar em quais sinais reconhecerão o objeto procurado, se este vier a apresentar-se. Não são menos simplórios do que um servidor enviado a algum lugar pelo patrão e que estaria tão […]

As várias mortes

Da vez primeira em que me assassinaram Perdi um jeito de sorrir que eu tinha… Depois, de cada vez que me mataram, Foram levando qualquer coisa minha… E hoje, dos meus cadáveres, eu sou O mais desnudo, o que não tem mais nada… […] MÁRIO QUINTANA. XIII. p. 19. In: A rua dos cataventos. p. […]

Harry Potter

Não se preparam admiradores de clássicos com Harry Potter; JOÃO PAULO. Leitura estática. In: Olhar. p. 2. In: Pensar. In: Estado de minas. n. 24.183. Belo Horizonte: Uai, 22 mar. 2008.

O sexo dos anjos

I doubt wheter we can imagine any thing about the Knowledge of Angels, but after this manner, some way or other, in proportion to what we find and observe in our selves. [p. 302] JOHN LOCKE. Conjecure about Spirits. § 13. In: Our Ideas of Substances. Chap. XXIII. In: Of Ideas. Book II. In: An […]

Estudar enfraquece

[…] Those who so become accustomed to walk in darkness weaken their eye‐sight so much that afterwards they cannot bear the light of day. This is confirmed by experience; for how often do we not see that those who have never taken to letter, give a sounder and clearer decision about obvious matters than those […]

A radicalidade cristã

[…] Essa tradição cristã é mais radical que a neoplatônica: se o Uno está além de todas as coisas, Deus está além até mesmo do Uno, pois também é Trindade. […] [n. 54] BERNARDO GUADALUPE DOS SANTOS LINS BRANDÃO. A teologia mística do pseudo‐Dionísio Areopagita.

Fazer amor

Fazer amor é bom em si e quanto mais isso acontecer de qualquer modo possível ou concebível entre tantas pessoas quanto possível e o maior número de vezes possível, tanto melhor. DAVID COOPER. A Decadência da Família. In: ROBERTO FREIRE. Viva eu, viva tu, viva o rabo do tatu. São Paulo: Ed. Símbolo, 1977.