Dívidas

[…] a economia da confiança é a economia da abundância; e a abundância é a abundância de dívidas: todos podem viver permanentemente em dívida. A instauração da idéia de que as dívidas algum dia podem e devem ser pagas––neste dia não vou dever mais nada a ninguém e ninguém vai me dever mais nada––parece ser pelo menos uma fonte de desconfiança e uma fonte que espirra gotas de escassez. […] [p. 4]

HILAN BENSUSAN. Mais confiança? Disponível em: http://www.unb.br/ih/fil/hilanb/papers/confian.pdf.

2 Comments

  1. Posted segunda-feira, 28/janeiro/2008 at 3:10 pm | Permalink

    Ta relendo o texto? É muito bom, mas gosto mais do final, sobre poliamor…mas tenho que reler.
    “o seu amor…ame-o e deixe-o”. rs
    Bjo!

  2. malebria
    Posted segunda-feira, 28/janeiro/2008 at 3:13 pm | Permalink

    Eu não tinha terminado…. Li o final agora, muito bom mesmo.

    Beijos, e valeu por me lembrar dele.


Comente

%d blogueiros gostam disto: